Férias 2016 – Japão e Dubai – de 03 a 21 de junho

Publicado: 7 de novembro de 2016 em Viagens

Foto Blog_Mapa

Voltar ao Japão foi um presente que eu me dei.

Gostei de ter ido em 2013 e adorei ter voltado. Muitos me perguntam por que voltar a um lugar. Simplesmente… quando gosto muito de uma coisa, de um lugar e posso… por que não?

Além disso, a Ásia tem seus encantos e é muito difícil explicar com palavras o que sinto quando estou lá. Tenho certeza de que não moraria, mas voltarei sempre que tiver oportunidade.

O Japão, por exemplo, tem uma cultura milenar coexistindo com o que há de mais moderno em tecnologia e isso representa um contraste que agrada aos olhos. Muito me atrai sua diversidade cultural, os encantos naturais e a hospitalidade de seu povo.

Se fosse só isso, seria o bastante. Mas não é. Não é uma viagem qualquer. É quase uma lição de vida e um aprendizado.

Adoro isso!

Seu cartão de visitas, o Monte Fuji, é uma das paisagens mais conhecidas do mundo. Difícil achar alguém que o tenha visto em foto e que não sonhe conhecê-lo pessoalmente. Já vi e posso dizer que vale a pena! Não fui dessa vez, mas tenho muito viva a lembrança de quando o vi pela primeira vez. Uma sensação gostosa, de realização.

Cada lugar que conheço representa um sonho realizado. E, quando volto, as sensações são indescritíveis. Muito bom!   

Dessa vez passamos por templos e santuários milenares, por diferentes e atraentes locais, conhecemos um pouco mais da sua gastronomia, aproveitamos cada minuto da nossa estadia e tivemos dias maravilhosos que valeram cada centavo investido.

Saímos do Brasil na madrugada do dia 02 de junho com destino a Tokyo. Um grupo retornou dia 18/06 e os demais voltaram dia 23/06.

Fiz parte do segundo. Optamos por parar em Dubai por três dias, uma parada estratégica e gostosa porque acertamos nosso fuso e, de quebra, conhecemos um lugar reconhecidamente grandioso, totalmente construído pelas mãos do homem. Há quem diga que é falso, se olhado com desdém, e há quem admire a força do homem de fazer brotar água no deserto. Para quem acredita, como eu, que é possível “mover montanhas quando realmente desejamos”, fico com a segunda versão.   

Anúncios
comentários
  1. MariaThereza Brandileone disse:

    Oi!

    Comecei a leitura e , através dela, uma viagem bem legal! Parabéns pelo seu blog! Beijos

    Thera

    Enviado do meu iPad

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s