Férias 2016 – Honshu – Kyoto – The Rock Garden Ryoan-ji – 15 de junho

Publicado: 7 de novembro de 2016 em Viagens

15/06/2016 – quarta-feira

Depois do almoço fomos conhecer Ryōan-ji (O Templo do Dragão à Paz), um templo zen localizado no noroeste de Kyoto. Ele pertence à escola Myōshin-ji do ramo Rinzai do budismo zen. O jardim do Ryōan-ji é considerado um dos exemplos mais finos de kare-sansui (“paisagem seca”). O templo e seus jardins são listados como um dos Monumentos Históricos da Antiga Kyoto e como um patrimônio da humanidade pela Unesco.

O templo serviu de mausoléu para os últimos imperadores Hosokawa. Suas tumbas foram agrupadas no que hoje é conhecido como as “Sete Tumbas Imperiais” no Ryōan-ji.

Há controvérsia sobre quando o jardim foi construído. Também há controvérsia se ele foi construído por monges ou por jardineiros profissionais, chamados de kawaramono, ou uma combinação dos dois. Uma pedra no jardim tem os nomes de dois kawaramonos gravados nela.

O nome do templo é sinônimo do famoso ‘jardim zen do templo’, o karesansui (paisagem seca) jardim de pedras, que teria sido construído no final do Século XV.

O jardim é um retângulo de 248 metros quadrados, com uma área de 25 por 10 metros. Estão colocadas nele quinze pedras de diferentes tamanhos, cuidadosamente compostas em cinco grupos: um grupo de cinco pedras, dois grupos de três e dois grupos de duas pedras. As pedras são cercadas por cascalho branco, que é cuidadosamente limpo todos os dias pelos monges. A única vegetação no jardim é um pouco de musgo ao redor das pedras.

O jardim teria sido feito para ser visto de uma posição sentada na varanda do hōjō, a residência do abade do monastério.

As pedras são dispostas de modo que a composição inteira não pode ser vista de uma só vez da varanda. Elas também estão arranjadas de forma que ao olhar o jardim de qualquer ângulo (e não de cima) apenas catorze pedregulhos sejam visíveis ao mesmo tempo. Tradicionalmente, afirma-se que apenas somente por meio da iluminação (“alcançar a iluminação significa obter a sabedoria da verdade do universo que conduz todas as pessoas à verdadeira felicidade”) alguém poderia ser capaz de observar as quinze pedras, uma vez que no Budismo o número 15 significa plenitude.

Dessa forma, podemos pensar que sua composição tem a função de incitar a meditação.

Como qualquer obra de arte, o jardim artístico do Ryoan-ji também é aberto à interpretação ou pesquisa científica. Muitas teorias diferentes foram propostas dentro e fora do Japão sobre o que o jardim representaria …ilhas em um riacho …. bebês tigres nadando ….picos de montanhas surgindo acima das nuvens …. teoria sobre segredos de geometria das regras do equilíbrio dos números ímpares.

Histórias à parte, retiradas da Internet, o que vimos foi um espaço belíssimo. Infelizmente não tivemos tempo para praticar meditação nem atingir qualquer estágio para se chegar à iluminação. Só que isso não nos impediu de sentirmos uma paz imensa motivada pelo fato de que, independente da religião, estávamos realizando nosso sonho de estar lá, uma felicidade para nós.

http://www.sacred-destinations.com/japan/kyoto-ryoanji

https://pt.wikipedia.org/wiki/Ry%C5%8Dan-ji

http://www.japaneasyblog.com/the-hidden-stone-ryoanji-zen-rock-garden/

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s